Olá famílias!

Na sua casa mora um príncipe ou uma princesa? Aqui mora um príncipe!

E pensando nesse príncipe lindo demais, transformei uns rolinhos de papel toalha e papel higiênico em um lindo castelo para meu príncipe morar!

Essa é a reciclagem da vez: 

"Castelo feito de rolinhos".


Materiais utilizados:

- Rolinhos de tamanhos diversos,
- Sobras de papeis coloridos,
- Tesoura e cola.

Encapei os rolinhos com os papeis que JM escolheu: verde e azul.

Demorei um pouquinho pra descobrir como se faz o telhadinho, mas tá aí, descobri!! rsrs

Fica como um chapeuzinho de aniversário.

Fiz uma bandeirinha usando palito de fósforo e retalhinho de papel.

Castelo prontinho e aprovadíssimo pelo príncipe!

Deixei as torres sem colar uma nas outras para JM organizar do jeito que quiser.

Assim, ficam várias possibilidades de criação e brincadeira.

Uma dica bem legal é que este castelo também pode servir de porta lápis.


Gostaram da reciclagem de hoje?

Beijo grande e paz!
Genis ;)




Olá famílias,

Brincando livremente de criar personagens, meios de transportes e até imagens abstratas, José Marcos vai desenvolvendo o seu raciocínio, a sua concentração e a sua capacidade de classificar quanto à cor, à espessura e ao tamanho.

Mas que brincadeira seria essa que desenvolve tantas coisas ao mesmo tempo? Blocos Lógicos, já ouviu falar? Um jogo simples, composto por 48 peças de cores, formas e tamanhos diferentes, que podem ser feitas pela mamãe e ainda contar com a ajuda do filho!

Aqui em casa fizemos nossos Blocos Lógicos de papelão. Os blocos são compostos por quatro formas geométricas: círculo, quadrado, retângulo e triângulo; três cores: azul, vermelho e amarelo; dois tamanhos: grande e pequeno; duas espessuras: grosso e fino.

Confira nosso passo a passo para a construção dos Blocos Lógicos:

Cortei a caixa em vários pedaços.

Fiz os moldes das figuras geométricas no papelão.

Recortei as formas. Um total de 48 peças, sendo 12 quadrados, 12 triângulos, 12 retângulos, 12 círculos.

Para fazer as formas com espessura grossa, colei 3 camadas de papelão.

E a pintura ficou por conta do José Marcos. Esse processo foi o mais demorado, pois são muitos blocos a serem pintados e JM gosta muito de ‘caprichar’!

Depois de secas, coloquei todos os blocos numa caixinha de sapato.

Para iniciar o uso dos Blocos Lógicos, com José Marcos, fiz algumas perguntas pra ele:

- Que cor é essa?
- Quantas peças azuis têm?
- Qual é esta forma?
- Quantos triângulos têm?
- Qual é o quadrado maior?
- Qual é o círculo mais fino?
- Separa pra mim todos os retângulos?
Etc.

Depois, deixei José Marcos explorar livremente os blocos por um tempo e, então propus algumas atividades de criação: “Vamos criar um boneco?” “Vamos criar um carrinho?” Ele adorou a ideia e construímos algumas coisas juntos outras ele construiu sozinho.



A função dos blocos é dar às crianças ideias das primeiras operações lógicas, como correspondência e classificação. Essa importância atribuída aos materiais concretos tem raiz nas pesquisas do psicólogo suíço Jean Piaget (1896-1980).

Segundo Piaget, a aprendizagem da Matemática envolve o conhecimento físico e o lógico-matemático. No caso dos blocos, o conhecimento físico ocorre quando o aluno manuseia, observa e identifica os atributos de  cada peça.

O lógico-matemático se dá quando ela usa esses atributos sem ter o material em mãos (raciocínio abstrato). Fonte: http://rosangelaprendizagem.blogspot.com.br



Um grande abraço,
Genis Borges ;)


Na escola onde JM estuda não há uma lista de material para a Educação Infantil. Poucas coisas são pedidas e são para uso pessoal, como toalha de banho, lencinho etc e mais uma agenda, um livro de inglês e um caderno. Os demais materiais são providenciados pela escola, pois pagamos uma 'taxa' de material. Vejo algumas escolas que fazem da lista de material uma verdadeira compra ao supermercado e é bom ficar de olho o que as escolas não podem pedir. De olho na dica!


Os itens que não podem constar em uma lista de material escolar são:

-Álcool hidrogenado;
-Algodão;
-Bexiga;
-Canetas de lousa;
-Copo descartável;
-Creme dental;
-Esponja de louça;
-Estêncil;
-Fita para impressora;
-Fitas adesivas;
-Fitilho;
-Giz branco e colorido;
-Grampo para grampeador;
-Medicamentos (a não ser que a criança tome algum regularmente);
-Papel Higiênico;
-Papel Convite;
-Papel para impressoras e copiadores;
-Prendedor de roupas;
-Sabonetes;
-Talheres descartáveis;
-Tnt (tecido não tecido);
-Toner.

Dessa forma você fica atento com os itens que a escola do seu filho está pedindo e não gasta mais do que deveria. Sabendo disso acompanhe item por item que a escola pede e se não for usado tudo peça de volta.

Abraços, Genis Borges ;)



Olá famílias!

Algumas escolas já retornaram suas atividades normais, outras só retornam no dia 04 de fevereiro, como é o caso da escola de JM, e a lista dos materiais com certeza já estão disponíveis desde o ato da matrícula. Algumas dicas são fundamentais para evitar algumas dores de cabeça na compra desse material e selecionei algumas lições que a jornalista Mara Luquet ensina para você respirar mais aliviada quando se deparar com aquela listona de compras para a volta às aulas. Confira:


1. Discuta cada item da lista com os professores
Não se trata de querer economizar na formação de seu filho, mas de entender por que ele precisa de clipes, grampeador e papel ofício A3 e A4, além de um monte de envelopes brancos e pardos. Afinal de contas, o garoto vai estudar numa escola ou trabalhar em um escritório?
2. Pergunte quando cada coisa será utilizada
O material tem de ser entregue todo de uma vez? Se existir a possibilidade de ir comprando o conteúdo da lista conforme a necessidade, você evita desembolsar essa grana em um único mês. E também diminui o risco de desperdícios ao longo do ano.
3. Pesquise os preços antes de colocar a mão no bolso
Jamais saia de casa sem ter, pelo menos, uma ideia de valores. Basta navegar em sites como KalungaSubmarinoWalmart Americanas.
4. Planeje os gastos cuidadosamente
Crie uma tabela para inserir os preços de cada uma das lojas consultadas. Com o documento concluído, avalie quanto você pode gastar sem provocar um rombo no orçamento familiar.
5. Organize compras coletivas
Sugira que outros pais de alunos se juntem nesse desafio. As chances de pagar menos levando grandes quantidades são enormes e, de quebra, você ainda fica conhecendo um pouco mais do círculo de amigos com quem seu filho conviverá.
6. Fuja dos cheques pré-datados
Se não der para pagar à vista, opte pelo parcelamento sem juros no cartão de crédito. Emitir pré-datados é o primeiro passo para perder o controle de suas finanças. Eles só funcionam com pessoas extremamente organizadas.
7. Aproveite itens usados
Compasso, esquadro e até cadernos podem durar vários anos, passando de uma criança para outra. Para que isso ocorra, ensine seu filho a cuidar do material escolar com carinho. E, se ele já é crescido, doe o material que está juntando pó dentro do armário a uma instituição de caridade.

Fonte de pesquisa: http://mdemulher.abril.com.br

Um grande abraço e boas compras!
Genis ;)