Aqui em casa as brincadeiras que meu marido tem com o JM são muito diferentes das minhas brincadeiras. As brincadeiras com o pai são com muito barulho! São tantos gritos de monstros, dinossauros, leões, guerra de travesseiros... que quem está de fora e ouvir, não vai entender nada!

Com a mamãe é tudo mais delicado e com o papai sai de baixo!

Dia desses JM veio pra cima de mim como um leão! Nossa, eu gritei: "Cuidado com o meu peito!", mas tomei uma cotovelada que olha, doeu, e ele agora entende que a mamãe é 'menina' e que precisa de maior cuidado. 

Eu acho o máximo essas brincadeiras, me divirto, mas só olhando de longe! A primeira vez que meu marido jogou JM pra cima, quase morri de susto! JM adorou, é claro e ficou movimentando o corpinho pra frente, como se tivesse pedindo mais (era ainda bebê).

A mamãe brinca e brinca bastante! Mas, com o papai é tudo muito mais radical e essa é justamente a palavra que JM usa para qualificar as brincadeiras com o papai "Radical".

Naturalmente, os homens preferem brincadeiras que envolvam jogos e lutas, algo que envolva competição e segundo os especialistas, os homens estimulam mais as crianças a resolverem as coisas por si mesmas e, pesquisando sobre esse assunto, aprendi que além de ajudar no desenvolvimento dos filhos, o pai também se desestressa quando entra para o universo infantil. 

Essa convivência e brincadeiras entre pai e filho, faz com que o pai viva mais e sofra menos acidentes, porque tende a se cuidar mais. Percebo que aqui em casa aconteceu exatamente isso. Meu marido nunca se preocupou muito com a saúde e agora quando se sente mal, pensa logo em JM. Esses dias ouvi a seguinte frase "Marca médico pra mim, pois preciso fazer um checkup. JM precisa do pai aqui". #Lindo

Eu incentivo essas brincadeiras, apesar do barulho e de ficar apreensiva às vezes, pois sei que é ótimo para o relacionamento dos dois.
















E na sua casa, as brincadeiras com o papai são diferentes? Comente!

Um super beijo! Genis ;)
Delícia é recordar as brincadeiras de infância e uma que me traz muita saudade é brincar na pracinha.

Hoje em dia, com a violência urbana, pai e mãe que trabalham fora e crianças que ficam o dia todo na escola, as brincadeiras na pracinha estão a cada dia mais escassas. 

Eu faço questão de levar JM na pracinha. Brincar na pracinha é conhecer gente nova, compartilhar o que se sabe, é aprender e descobrir, é preservar o patrimônio público e passar momentos ao ar livre e observar o comportamento social de seu filho.

O que está esperando? Procure uma pracinha aí no seu bairro e se delicie revivendo essa linda brincadeira de infância.





Abraços, Genis ;)


Olá famílias!

No dia 20 de fevereiro lancei uma campanha para ajudar uma criança que não tinha enxoval. Para saber um pouco mais, clique AQUI. E, algumas empresas gentilmente fizeram algumas doações.

Muito obrigada as empresas parceiras. 

A empresa Baby Roger fez doação de fraldas, lenços, shampoo e condicionador.

SERVIÇO:
Site: http://www.babyroger.com.br

---------------------------------------------------------- ♥

A empresa BabyCub fez doação de roupinhas para o bebê.


SERVIÇO:
Site: http://www.babycub.com.br


---------------------------------------------------------- ♥

A empresa Capricho fez doação de fraldas.
Resultado de imagem para fraldas capricho


SERVIÇO:
Site: http://www.fraldascapricho.com.br/



---------------------------------------------------------- ♥



* As doações foram feitas no sábado.