Você se lembra como foi seu primeiro dia de aula na faculdade? Eu sim e foi tenso. Apesar de não ser uma pessoa tímida meu coração acelerou demais e fiquei gelada. A turma era bem grande e tudo era tão novo e diferente pra mim. Os dias foram passando e o bate papo e as amizades foram surgindo, mas demorou um certo tempo pra isso acontecer.

Agora, imagina uma criança que começa a estudar ou mesmo que já estude, começa um novo ano letivo, uma nova fase com novos professores e novos amigos? Não é fácil e os pais e educadores precisam estar atentos para aos comportamentos delas nesse início.

A primeira coisa a ser feita é ter paciência. Há crianças "e" crianças, certo? Então, cada uma com suas particularidades, vai expressar de uma maneira seus sentimentos sobre essa nova vivência. 

Não adianta ficar comparando uma com a outra, dizer que o amiguinho não tá chorando etc. Isso só faz piorar ainda mais a situação. Converse com seu filho e não despreze o que ele está sentindo naquele momento. 

Há um outro tipo de reação comum também, algumas crianças não choram, mas guardam dentro de si frustrações. Esteja atento. Tenho experiência de ter tido alunos que aparentemente estavam ótimos na adaptação e poucos meses depois, não quiseram ir pra escola e começaram a ter reações de pirraça, choro e até medo.

JM passou do Maternal para o Jardim I, turminha com 4 anos completos. Como ele fica na creche, no primeiro dia de aula eu fiz questão de estar lá às 13h para acompanhar o seu primeiro dia. Pra minha surpresa, vi a coordenadora da creche o levando para a sala de aula com mais outras crianças e ele estava ótimo, na fila, andando normalmente. Mas, quando me viu... rsrs chorou! Ah, por que chorou JM?

Sinceramente, percebi que foi um chorinho de manha e arrisco até em dizer que foi um chorinho pra mamãe se sentir bem - Vou chorar pra minha mamãe ver que estou com saudades! - por um momento acho que ele pode ter pensado nisso. Valorizei um pouco esse dengo, mas logo conversei e fiquei um tempo por lá pra transmitir segurança à ele. Minutos depois, ele estava já com os amigos, brincando.

Desde que JM foi pra escolinha pela primeira vez, não tive problemas grandes de adaptação. Um chorinho aqui outro ali, mas tudo contornável. Penso que a ida pra creche logo bebê, facilitou essa transição. Mas, como disse, nem todas as crianças são iguais e se você está passando por um momento mais difícil, deixo algumas dicas que podem ajudar.

  • Sempre fale a verdade para seu filho, não tente enganá-lo. 
  • Diga, transmitindo confiança, que irá voltar pra buscá-lo. Nos primeiros dias, você pode combinar com a escola de buscar mais cedo e ir aumentando o horário com o passar das semanas. Há algumas escolas que já fazem isso no período de adaptação.
  • Converse em casa sobre a nova experiência que ele irá ter. Que conhecerá pessoas novas e fará muitas amizades.
  • Tenha paciência, muita paciência e não desista no caminho.
  • Converse com a direção da escola, diga sobre suas dúvidas e medos. Eu fiz muito isso com a querida diretora da escola de JM e saía sempre muito confortada de lá.
  • Converse com outras mães que já passaram por isso e verás que não está sozinha.

Me conte como foi a sua experiência na adaptação!

Abraços, Genis Borges


Bom dia ...

Hoje a receita que eu trago é uma sobremesa que acredito que todos adoram e desse modo chama mais atenção ainda da criançada.

Fiz aqui em casa para o Gui e ele adorou o resultado, não é difícil fazer, porém é um pouco trabalhosa mas vale a pena o resultado.




Ingredientes:

Pacotinhos de gelatina de sabores e cores distintas (limão,tutti-frutti, abacaxi, morango).
1 vidrinho de leite de coco
1 lata (ou caixinha) de leite condensado
Água fervente
Água fria


Modo de preparo:


1- Dissolva todo o conteúdo do pacote de gelatina do sabor escolhido (o meu primeiro foi o azul) em 150 ml de água fervente, mexendo bem até que não sobre resíduos.

2- Acrescente 150ml de água gelada à mistura e mexa novamente.

3- Deposite metade da gelatina já dissolvida em uma forma de pudim, com um furo no meio, untada com óleo.

4- Leve ao freezer por 10 minutos (lembrando que esse tempo pode variar, o tempo é quando ela já está firme).

5- Adicione à metade da gelatina restante, 2 colheres de leite condensado e 2 colheres de leite de coco. Mexa até ficar homogêneo e opaco.

6a- Passados os 10 minutos (ou um pouco mais de tempo, pois essa primeira camada demora mais que as próximas para endurecer), retire a gelatina do freezer e despeje o creme opaco por cima da camada que já começou a endurecer, com muito cuidado.

6b- Distribua o creme de modo a cobrir uniformemente toda gelatina que estava por baixo.

7- Leve ao freezer novamente, mas dessa vez por 15 minutos.

8a, 8b e 8c- Repita os passos anteriores com a gelatina da cor desejada, primeiro sozinha e depois com leite condensado e de coco, lembrando que o tempo no congelador é de 10 minutos para as camadas transparentes e 15 minutos para as opacas.

9, 10 e 11- Continue repetindo todos os passos com as gelatinas seguintes.

Ao terminar o tempo de resfriamento da última camada (que, no meu caso, foi a vermelha cremosa), transfira a forma do freezer para geladeira.

Só desenforme a gelatina quando ela estiver totalmente durinha, o que não deve acontecer antes de 4 horas de geladeira.  Caso não se solte com facilidade, passe a forma com rapidez na chama do fogão, até que as laterais se desprendam.


Dicas:
  • Para que as camadas fiquem retinhas e certinhas tenha muito cuidado na hora de despejá-las. Se cair muita gelatina de uma vez só, a força e o peso do líquido pode furar a camada semi endurecida anterior ou vazar pelas laterais.
  • Um truque que utilizei foi inventar uma cor de gelatina que não encontrei no mercado: a laranja.Para deixá-la mais avermelhada, salpiquei um tiquinho do pozinho da gelatina de morango na de abacaxi.
Espero que gostem da receita!!!
Beijos Mi Gobbato 




Bom dia amigas,

Hoje trago uma receita que faz sucesso aqui em casa, seja pela praticidade como pelo sabor! Na receita de hoje usei asas de frango, mas também pode ser frango em pedaços ou somente coxinhas, fica a gosto de cada um.

Espero que todos experimentem a receita e gostem!! Bom apetite a todos!!

Ingredientes:

1 kilo de asas de frango
2 colheres (sopa) shoyu
gengibre ralado ( a gosto)
alho picado ( a gosto )
suco de limão ou vinagre branco
pimenta do reino
1/2 talo de alho poró
Saco plástico

Modo de preparo


Lave bem as asas de frango, tirando nervos e excessos de penas. Faça pequenos cortes para que o tempero fique bem uniforme(1) e coloque dentro do saco plástico. 

Lave o talo do alho poró e faça pequenos cortes em vertical, depois corte em horizontal(2) assim ficarão bem pequeno os pedaços, agregue ao frango, acrescente o alho, o limão ou vinagre branco,o shoyu e tempere com a pimenta e gengibre ralado(3).

Faça um nó na borda do saco e mexa bem, para que o frango fique bem temperado(4).

Leve a geladeira por no mínimo 1 hora, ou se preferir faça um dia antes. Retire do saco plástico e coloque para dourar em uma panela com um fio de azeite(5) ou asse em forno de 180 graus por 30 minutos(6), forrando a forma com papel manteiga!

 

Beijos a todos, Eloá


Depois de todos os materiais de JM comprados, é hora de organizar, etiquetar e enviar pra escola. A escola marcou uma data antes do início das aulas para serem entregues os materiais e achei essa ideia bacana, pois no retorno dos alunos, a salinha já estará organizada.


Que a diretora não leia a postagem, mas achei a lista bem generosa rs. Com a lista na mão, fica fácil visualizar o que será utilizado e percebi vários materiais nas cores verde e amarelo e logo pensei "Trabalhos para a Copa do mundo", claro! Além de saber o que estou comprando, ao contrário das escolas que cobram taxa de material, pude escolher as marcas, pois sou enjoada quanto à isso, confesso. Quando é pra comprar algo que sei que será bom pra JM e com uma marca boa, não meço esforços. Já sei que algumas pessoas irão dizer que marca não é tudo e mimimimi, mas material de arte precisa ser bom sim. 

Exemplo disso são as massinhas, canetinhas, lápis de cor, giz de cera. Não tem como comparar uma marca x com uma outra x mais ou menos. A cor não é a mesma, a massinha é dura, o giz quebra à toa e a canetinha seca rapidinho. Como professora, presencio isso diariamente com meus alunos.

Mas, voltando ao tema do post, vamos começar a organizar tudo, porque já passou da hora, né pessoal?!

O primeiro passo é olhar tudo o que foi comprado pra se ter uma ideia de quantidade de etiquetas. As escolas devem pedir tudo etiquetado, pois há um verificação no ato da entrega.


Visto isso, é preciso pensar em como serão as etiquetas. Vou dar três sugestões bem simples:

1º Etiqueta personalizada: São aquelas etiquetas compradas com o nome da criança. Você pode escolher a cor, o desenho e até o tipo de letra. Há muitas pessoas e lojas que prestam este serviço. No meu caso, as etiquetas são da GarageKidz, lindas e com ótima fixação.


2º Etiqueta feita no computador: Os nomes da crianças impressas em papel A4 coloridos, viram etiquetas. Simples assim! Você pode fixá-las com durex ou contact.


3º Etiquetas compradas em papelariaEssas etiquetas são bem práticas. Você apenas escreve o nome da criança e pronto. Ótimo pra identificar materiais menores.


E para identificar os lápis de cores, uma ideia bem legal. Ao invés das etiquetas, colei nas pontas fita adesiva colorida. JM escolheu a cor amarela. Dessa forma, todos os lápis de cor que estiverem com a fita adesiva amarela, ele saberá que são dele! 


Este ano, JM já frequentará o Jardim e não mais o Maternal e, nessa nova fase, usará estojo individual. Ai, que lindo! Vibro com cada fase! Para facilitar o manuseio do seu material, comprei um estojo com duas partes. Expliquei pra JM que em uma parte ficarão os lápis de escrever, borracha e apontador e na outra parte, os lápis de cor. Só me resta saber se ele compreendeu, pois quero ver na prática! rs


Não há cadernos a serem encapados e os livros didáticos são da Dom Bosco com páginas destacáveis e ficarão na própria escola.

A mochila será a mesma do ano passado, ou melhor, retrasado. Está em bom estado e dá pra usar mais este ano. Não economizo nos materiais de qualidade, mas a mochila, defendo a ideia que não precisa ser trocada todos os anos se tiver em bom estado.

Uniformes comprados, material organizado, vamos pra escola?!

Beijos, Genis Borges