José Marcos não foi um bebê chorão. Minha vizinha ao me visitar, disse que raramente o escutava chorar e quando escutava achava que ele era "educado", que chorava com educação.... rsrs Mas, realmente ele era educadinho pra chorar. Não costumava ficar aos berros.

No início não conseguia identificar os motivos de seus choros, mas aos poucos fui aprendendo. Tinha o choro da fome, do calor e outros dois choros que foram mais difíceis. 

Um, é que tinha hora que ele não queria colo, ficava incomodado e queria ficar todo a vontade deitado no berço ou em outro lugar. Um dia, na igreja ele começou a chorar, tentei dar de mamar, mas piorou. Então tive que improvisar rapidamente um lugar pra ele se deitar todo espaçoso... e ficou por lá uma meia hora mais ou menos.

O outro chorinho que demorei um pouco pra aprender é quando ele fazia coco, não gostava de ficar com a fralda suja. Então começava o chororô até ser trocado, mesmo que fosse um minúsculo cocozinho, quase imperceptível! 

O que eu sei é que todo bebê chora. Eles não têm outra saída. Como não podem fazer nada sozinhos, os bebês precisam dos outros para conseguirem a comida, o calor e o conforto de que precisam. 

Chorar é o único jeito que os bebês tem de se expressar, de se comunicar. À medida que vão crescendo, eles aprendem outros meios de se comunicar com a gente e, José Marcos abriu muito o bocão até que eu o atendesse e o entendesse.



Há outros motivos pelos quais os bebês choram:

- Fome
- Sono
- Precisam arrotar
- Precisam de colo
- Estão com frio ou calor
- Alguma coisa incomodando, como meias, sapatinhos ou roupinhas apertadas...
- Estão com algum mal estar

Parece difícil descobrir o motivo do choro, mas com paciência, observação e conselho dos mais velhos, você aprende e tira de letra esta fase. 

Beijos, Genis Borges ;)