Olá famílias, 

É quase impossível privar uma criança de conhecer o Papai Noel. Acreditar em Papai Noel, coelho da Páscoa e outros personagens infantis faz parte da infância. Eu, por exemplo, acreditei em Papai Noel até uns 7 anos e meus pais colocavam o presente de Natal durante a madrugada na minha cama. Era o máximo aquela sensação de que o Papai Noel tinha entrado no meu quarto (ainda me lembro desse sentimento). 

De acordo com estudos realizados sobre esse tema, constata-se que através das fantasias, a criança constrói seus próprios valores, tornando-se um adulto mais criativo e otimista. Acreditar em figuras imaginárias ajuda a criança a lidar com os seus pensamentos, enriquece o imaginário e favorece a exploração das idéias. 

E quando contar a verdade? Cedo ou tarde a criança irá descobrir que o Papai Noel é apenas um personagem do Natal, não existe idade certa para contar e não cabe aos adultos fazerem isso. Não devemos ter pressa em fazer as crianças acordarem e causar uma dor, revolta e até um turbilhão de sentimentos confusos dentro das crianças. Naturalmente elas acabarão por descobrir que tudo isso fez parte do mundo maravilhoso de faz de conta da infância.  



Jamais irei substituir a figura de Jesus, o verdadeiro sentido do Natal, pela figura de Papai Noel. Papai Noel não é Papai do Céu, isso é fato e meu filho sabe perfeitamente a diferença entre eles. Não sei quando será o momento que ele descobrirá a verdade, ou seja, que Papai Noel não compra realmente os presentes, mas estarei aqui pra orientá-lo e ajudá-lo a chegar as suas próprias descobertas.

Que tal aproveitar esse clima natalino e voltar a ser como as crianças e ao invés de acreditar em Papai Noel, acreditar que ainda há esperança pra humanidade, que viveremos dias melhores e que Deus tem o melhor pra cada um de nós?

E você, qual sua opinião sobre o assunto? Seu filho acredita em Papai Noel ou em outros personagens imaginários? Você permite que ele acredite ou proíbe tais fantasias? Deixe suas respostas no comentário.

Abraços, Genis Borges ;)