Com quase 6 anos dentro da blogosfera materna, vejo uma crescente na rivalidade a cada dia entre mães e mães. Críticas, ataques e indiretas! Algumas me passam a impressão que ficam o dia a navegar pela internet pra pegar algum furo (furo pra ela, porque a mãe age naturalmente) de alguma mãe, só pra expor nas redes sociais “Olha só que mãe de merda é essa!” Sim, o objetivo é ridicularizar essa mãe para o maior número de pessoas possíveis. 

Mães que tem parto normal julgam as que fazem cesariana, mães que ficam em casa (agora tá na moda usar o termo mãe em tempo integral ou pra ficar mais chique full time mom) julgam as que trabalham e deixam os filhos em berçários ou cuidadoras, mães que optam por amamentação prolongada julgam as que optaram ou não conseguiram amamentar por muito tempo, mães que deixam os filhos comerem um chocolate ou um fast food de vez em quando não podem jamais postar isso na timeline do facebook, pois correm o risco de serem queimadas vivas em praça pública, mães que se cuidam e não dispensam o salão semanalmente são criticadas pelas mães que “não” tem tempo pra se cuidar (será que não tem tempo mesmo?), mães que não ofereceram chupeta para os filhos julgam as que ofereceram e por aí vai... esta lista é extensa demais e vou parar por aqui, mas creio que deu pra entender muito bem a que tipo de rivalidade estou me referindo no título deste post. 

Daí eu paro pra pensar: Será que a maternidade é mesmo um ringue, onde mães a todo tempo estão prontas para o ataque? Meu Deus, pra que isso? Cada família, cada pessoa carrega sua própria história, seus valores e princípios e o que pode ser uma verdade para mim, pode não ser para você. Cada mãe/família busca seu próprio jeito de educar e fazer seu melhor. 

Dar uma dica do que deu certo pra você é diferente de dizer o que a outra pessoa deve fazer. Sua opinião vai existir, claro! Mas, o que precisamos saber é se preciso realmente expor minha opinião ou se não estou usando da minha sinceridade (opinião), a minha falta de educação ou uma maneira de agredir quem está lendo. E afinal, quem te perguntou sobre tal coisa? Quem disse que tudo o que você faz e pensa e posta é o correto e vai ser bom pra mim e para os outros? 

Quem me acompanha aqui no blog e nas redes sociais sabe o quanto valorizo a reciclagem, a criatividade, os momentos juntos entre mãe/pai e filho, a alimentação saudável, mas gente isso não me faz melhor nem pior do que as outras mães! José Marcos também tem um super Transformers que ganhou de Natal, além de todos os brinquedos que criamos juntos, e daí? Tem um dinossauro que anda e emite sons e tem dinossauros feitos com pratinhos de isopor! 

Vamos parar com esse “Eu sei, eu faço melhor!” “Eu sou uma mãe ótima mãe, porque sou feia, não tenho vaidade, porque fico por conta do meu filho 24 horas por dia!” 

Eu fico pensando que tipos de seres humanos estamos educando, crianças vivendo nesse turbilhão de rivalidade, assistindo tudo de camarote e aprendendo com seus maiores exemplos, suas mães! 

Todas as mães merecem respeito, temos o maior dom vindo da parte de Deus, temos o dom de gerar, de dar a luz a uma nova vida (seja por parto normal ou cesárea rsrs)

Eu sou mãe, você é mãe, vamos nos respeitar!

Abraços fraternos, Genis Borges ;)