Brincar ao ar livre faz bem

Olá famílias,

Quem não se lembra das divertidas brincadeiras ao ar livre onde não tínhamos a preocupação com o horário pra voltar pra casa, não tínhamos acesso às redes sociais e muito menos pensávamos que um dia poderia existir Internet? Eu sou desse tempo aí! Entreguei a idade! #hahaha

As brincadeiras em locais abertos foi um marco na "velha infância", mas podemos e devemos resgatar essas brincadeiras com nossos filhos nos dias de hoje, pois elas refletem positivamente na saúde das crianças, proporcionando o contato com o meio ambiente e motivando a imaginação e a criatividade, além de ajudar os pequenos a exercitar pernas, braços e todo o corpo, afastando o sedentarismo, possíveis doenças cardiovasculares e obesidade.

Brincar no parque, na praça ou no quintal, em horários adequados (antes das 10 e após as 16 horas), também influencia as crianças a ter contato com o Sol, responsável por produzir a vitamina D, que ajuda na absorção do cálcio e fortalece o sistema imunológico e os ossos.

As opções de brincadeiras são diversas, mas com a gama de brinquedos tecnológicos, muitas crianças tendem a passar cada vez mais tempo dentro de seus quartos. Por isso, Redoxitos® separou algumas atividades para divertir os pequenos em espaços externos e que podem, inclusive, ser realizadas com a ajuda dos pais, proporcionando mais um momento de convívio familiar e socialização com outros coleguinhas.

Vejam algumas dicas de brincadeiras para serem realizadas ao ar livre:

Andar de bicicleta, patins ou patinete: Os pais podem participar, auxiliando os pequenos, que podem já saber pedalar com rodinha ou não. No caso dos patins e dos patinete, que também exigem equilíbrio, os parques são as melhores opções para treinar.


Cabra-cega: Uma criança, de olhos bem vendados, dá vários giros no mesmo lugar. Depois, tenta pegar alguém que estiver por perto, mas ainda de olhos vendados. A criança que for tocada será a próxima cabra-cega. E assim sucessivamente.


Esconde-esconde: Para essa brincadeira, quanto maior o número de crianças maior será a diversão. Para começar, o eleito por todos contará até 20, com a cabeça e os olhos voltados para o tronco de uma árvore, um muro, entre outros, para não avistar o esconderijo dos demais. Na sequência, procurará um a um.


Pega-pega: Uma das crianças será a que terá de correr atrás das demais, que poderão se proteger no esconderijo chamado de pique. Quem for pego, será o próximo a correr atrás dos outros participantes.


Pular corda: Brincadeira antiga em que duas pessoas batem uma corda para uma terceira pular, repetindo o que diz a letra da música cantada por todos. Um das mais conhecidas é: um homem bateu em minha porta e eu abri. Senhoras e senhores ponham a mão no chão. Senhoras e senhores pulem num pé só. Senhoras e senhores deem uma rodadinha e vá pro olho da rua (nessa parte, a criança tem que sair da corda sem encostar nela).


Amarelinha: Para se divertir com essa brincadeira, é preciso, primeiro, desenhar com giz ou carvão, quadrados sequenciais no chão com tamanho suficiente para que a criança pule dentro de cada um deles, com numeração que vai de 0 a 10, para chegar até o “céu”. Depois de feito o desenho, a criança deve lançar uma pedrinha em um dos quadrados e pular em um pé só em todos os quadrados, com exceção daquele onde está a pedrinha.


Queimada: As crianças devem ser divididas em dois times, sendo que uma bola será utilizada para “queimar” o adversário. Quando alguém é acertado vai para a ‘prisão’. Ganha o time que acertar todos os integrantes do outra equipe.



Abraços, Genis Borges. ;) 


0 comentários:

Postar um comentário