Dicas para o Desmame

Olá famílias,

Muitas mamães me pediram dicas de como fazer o desmame e eu sempre respondo "Não sou a melhor pessoa pra dar dicas sobre isso..." José Marcos mamou até 2 anos e 9 meses e só parou porque o leite acabou e começou a doer meu peito. Eu disse "Filho, o leite da mamãe acabou" e ele respondeu "Acabou? Vou dar beijinho", naturalmente ele entendeu e todos os dias pedia pra dar beijinho ou dormir agarradinho no peito. Se não fosse por isso, acho que ele estaria mamando até hoje! (exagero kkkkkk)

Quando conto isso para as pessoas, algumas fazem cara de não acreditar, mas foi desse jeito mesmo, muito natural e creio que por ele já estar falando na época e entendendo o que eu dizia, facilitou e muito todo o processo.

Antes mesmo de engravidar eu tinha em mente em amamentar em livre demanda, sem pressa para o desmame e assim aconteceu, mas entendo e respeito a opinião das mamães que pretendem amamentar por menos tempo e para levar informação de qualidade para vocês, trago um texto escrito para o BabyCenter Brasil e aprovado pelo Conselho Médico do BabyCenter Brasil com dicas de como fazer o desmame. 


Quando devo começar o desmame?

Não existe uma regra para o momento do desmame. A orientação de especialistas e autoridades na área da saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, é de que o bebê receba exclusivamente leite materno até os 6 meses de idade e que continue sendo amamentado até 2 anos ou mais, mesmo que já tenha começado a ingerir outros alimentos.

A despeito do que amigos ou parentes possam falar, não há maneira certa ou errada de desmamar o bebê. Algumas mães preferem escolher o momento para parar de amamentar, enquanto outras deixam a decisão nas mãos da criança.

É uma decisão muito pessoal, que depende das circunstâncias de cada família.

Desmame definido pela criança

O desmame é definido pela criança quando não se estabelece um calendário fixo para deixar de amamentar. A mãe observa a criança para ver se há sinais de que ela está pronta (física e emocionalmente) para isso.

O que costuma acontecer é que a criança demonstra menos interesse pelo peito, mostra impaciência durante a mamada, substitui algumas mamadas por outros tipos de alimentos ou até prefere brincar. A mãe, melhor do que ninguém, saberá avaliar.

A sintonia entre mãe e filho é essencial para o que alguns chamam de 'desmame gentil', que acontece bem aos poucos, sem dramas, e por vontade da criança.

Desmame definido pela mãe 

Existem casos em que a mãe é quem decide iniciar o desmame, seja por circunstâncias ligadas ao trabalho, à saúde ou porque sente que é o momento adequado.

Mesmo quando o desmame é iniciado pela mãe, o ideal é que seja gradual. O processo requer paciência e pode levar algum tempo - esse tempo varia muito de criança para criança, mas pode se estender de algumas semanas a até seis meses.

Qualquer que seja a situação, desmamar uma criança não deixa de ser como uma longa despedida cheia de emoções misturadas - às vezes dolorosas, às vezes libertadoras.

O importante é que o desmame não signifique o fim da intimidade que você estabeleceu com seu filho durante o aleitamento. Se a hora da mamada servia para confortá-lo, procure ler ou cantar para acalmá-lo.

Como faço, na prática, para desmamar meu filho?

Vá devagar no processo do desmame. Os especialistas aconselham a não parar de amamentar de repente, porque a experiência pode ser traumática para a criança e nada confortável para você.

Passar, por exemplo, um fim de semana longe do seu filho não é uma boa forma de encerrar o aleitamento. Esse distanciamento, além de poder ser negativo para a criança, arrisca deixá-la com seios cheios demais e até levar a uma mastite.

Se seu filho não mostra sinais de que está pronto para parar de mamar, o desmame possivelmente será enfrentado com resistência. Tente ser paciente. Lembre-se de que a amamentação não é somente fonte da nutrição da criança, é também de conforto.

Evite também iniciar o processo de desmame em momentos mais conturbados da vida da criança, como o ingresso na escola e mudanças de casa, por exemplo, ou quando ela está doente.

Sempre que possível, tente se planejar para que o fim da amamentação não coincida com esses acontecimentos.

Tendo isso em mente, o melhor a fazer é ajudar seu filho a se ajustar à nova rotina. Você pode experimentar os seguintes métodos:
  • Só ofereça o peito quando seu filho demonstrar interesse. Se a criança estiver distraída na hora da mamada ou se abocanhar o peito por segundos apenas, pode ser que esteja indicando que é um bom momento para parar.
  • Associe outro membro da família com a alimentação. O ideal é que o pai ou outro membro da família ofereça alimentos para a criança para que ela não associe a alimentação apenas à mãe.
  • Intercale mamada e outros alimentos. Pule uma mamada e veja o que acontece. Dê leite em um copo de transição ou comum.

Ao ir reduzindo uma mamada por vez, a criança tem tempo para se adaptar às mudanças. Sua produção de leite também vai diminuir gradativamente, sem deixar os seios ingurgitados ou com uma possível mastite (inflamação mamária).
  • Atrase as mamadas. Tente adiar as mamadas se estiver amamentando só de vez em quando. Quando seu filho pedir o peito, diga que não chegou a hora ainda e procure distraí-lo.
  • Este método funciona bem com crianças um pouco mais velhas, com quem é possível tentar argumentar. Em vez de dar de mamar no começo da noite, espere até a hora de dormir.
  • Reduza o tempo de cada mamada. Comece limitando o tempo que seu filho fica no peito. Se ele costuma mamar por 10 minutos, tente amamentar por 5 minutos. Dependendo da idade da criança, é possível oferecer na sequência outro alimento.
  • Faça combinados. Explique para seu filho que as mamadas ficarão limitadas a certos momentos, e apenas por certo tempo, e procure se manter firme, para que ele não fique insistindo. Procure sempre dar um tom positivo aos combinados.
  • Esteja aberta à necessidade de adiar o desmame, se estiver sendo muito difícil. Caso o processo esteja sendo sofrido, talvez seja o caso de voltar atrás e esperar mais um pouco, para que vocês estejam mais prontos.

Espero que essas dicas ajudem as mamães que pretendem inciar o desmame.
Um grande beijo, Genis ;)




Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. Por aki eu não tive leite suficiente e meu filho muito preguiçoso para sugar. Então amamentei com bombinha até os 7 meses mas complementava com leite em pó! Legal estas dicas! bjooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótimas dicas. O importante é a mãe sentir que está pronta e perceber que os filhos também estão prontos. Aqui eu conversei, expliquei que o mamá iria acabar, que estava na hora, falei por uma semana e no dia que acabaria, acabou. Foi tranquilo. Acho que quando estamos seguras a coisa rola mais naturalmente.
      beijos
      Chris

      Excluir
  2. Dicas muito boas aqui espero que seja um desmame natural sem idade especifica, pretendo amamentar até a Helena quiser!
    Isaque desmamou naturalmente com 10 meses.
    De qualquer forma deve ser um desmame gentil e bom pra ambas as partes

    ResponderExcluir